Empresas de todo País poderão identificar Notas Fiscais Eletrônicas emitidas contra seu CNPJ

As empresas poderão identificar as Notas Fiscais Eletrônicas (NF-e) emitidas contra seu CNPJ em qualquer Estado brasileiro. A Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo desenvolveu software que permite a empresas de todas as regiões do Brasil ter acesso à relação de NF-e emitidas para o seu número de cadastro. A medida traz seguraça aos destinatários de NF-e, que podem acompanhar o fluxo comercial, detectar indícios de fraudes ou simulações que envolvam o uso indevido de seu CNPJ e sinalizar ao Fisco se reconhece ou não determinada operação. O Aplicativo de Manifestação do Destinatário é gratuito e está disponível para os contribuintes no site da Secretaria da Fazenda. O link para download, incluindo orientações gerais para instalação e uso, está disponível na página da NF-e, no endereço https://www.fazenda.sp.gov.br/nfe. Esta funcionalidade é de uso livre e voluntário pelas empresas e traz a vantagem de indicar a ocorrência da operação e evitar cancelamentos indevidos da NF-e por erro ou fraude. Com este novo software, as empresas destinatárias de NF-e poderão manifestar-se quando a ocorrência ou não da operação comercial. A nova ferramenta simplificará também o trabalho de escrituração fiscal, pois centralizará as informações num único aplicativo. A criação de uma ferramenta com tais funcionalidades atende a um pleito da Associação Comercial de São Paulo apresentado à Fazenda em contatos mantidos no final de 2012 e do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas no Estado de São Paulo (Sescon). No final de fevereiro, a Secretaria da Fazenda colocará à disposição dos contribuintes e contabilistas uma nova versão do programa que permitirá fazer o...

Conheça o ranking dos países latino-americanos com a maior carga tributária

O Banco Inter-americano de Desenvolvimento divulga desde 2005 estudos sobre a carga tributária dos países latino americanos. Desde então, o Brasil sempre figurou como o país que possui maior percentual do PIB comprometido pelos impostos, porém, conforme dados divulgados em 2012 referentes ao período de 2010, pela primeira vez na história do ranking a Argentina nos tomou o primeiro lugar nesse nada agradável pódium. Você pode consultar a pesquisa completa em: https://www.iadb.org/en/research-and-data/publication-details,3169.html?pub_id=IDB-DB-101 Novidades...

Ações e ouro são boas alternativas para 2013, apontam especialistas

Depois de vários momentos de turbulências no mercado de investimentos, 2013 chega com um horizonte um pouco mais animador para os investidores. As perspectivas de retomada gradual da economia mundial e os incentivos por parte do governo brasileiro têm feito com que especialistas vejam o novo ano com otimismo. Nos Estados Unidos, o acordo que evitou o abismo fiscal também animou os investidores e trouxe mais tranquilidade para o mercado acionário, pelo menos momentaneamente. Confira as perspectivas para alguns investimentos: Bolsa Na opinião do analista-chefe da Gradual Investimentos, Paulo Esteves, o acordo político nos EUA para se evitar o abismo fiscal abre espaço para um movimento mais forte de alta na bolsa. “Afetado não apenas pela complexa conjuntura internacional, como também pelo maior grau de intervenção do governo na economia brasileira e pelo decepcionante PIB no ano, o Ibovespa acumulou defasagem em relação ao desempenho de outras bolsas de países emergentes em 2012”, disse Esteves, em relatório. Ouro e dólar Melhor investimento por 3 anos seguidos (2010,2011 e 2012), o ouro deve se manter como um bom ativo neste ano, a não ser que haja uma recuperação econômica muito rápida, o que é pouco provável. “O quadro atual não deve se alterar tanto em 2013”, afirma o gerente de negócios da Reserva Metais, Edson Magalhães. “Ainda deve haver uma pressão forte no câmbio, o que deve valorizar o metal”. Com uma valorização de 8,94% em 2012, o dólar se beneficiou das sucessivas medidas do governo com objetivo de desvalorizar o real. Outro fator que contribuiu para o bom desempenho do dólar no ano passado foi a aversão ao risco por...