Tributação da Comissão Sobre Vendas – Como calcular?

Tributação da Comissão Sobre Vendas – Como calcular?

Grande maioria das empresas trabalham com a comissão sobre vendas com os seus funcionários e representantes, mas sempre ficam com dúvidas e sem saber como realmente devem prosseguir com a questão da tributação da comissão sobre vendas. As comissões sobre vendas, salvo convenção expressa em contrário, devem incidir sobre o valor real da operação comercial realizada pelo vendedor, não lhe cabendo suportar a redução de sua comissão em razão da exclusão dos encargos financeiros decorrentes do uso, pelo empregador, dos serviços de cartão de crédito, da base de cálculo de cada remuneração. Os encargos financeiros correspondente à vantagem empresarial decorrente da antecipação do recebimento do valor da operação comercial não pode ser, de modo algum, transferido para o empregado vendedor comissionado, já que os respectivos lucros não são compartilhados. Essa alteração unilateral do contrato constitui indevida transferência dos riscos do empreendimento ao empregado vendedor. Por esta razão, ao contratar os serviços de representantes comerciais ou vendedores autônomos, as empresas normalmente estabelecem que as comissões a que estes fizerem pelas vendas realizadas somente serão pagas após a liquidação dos títulos originados da operação comercial, sem se esquecer de garantir o compliance fiscal. Legislação do Imposto de Renda X Tributação da Comissão sobre Vendas A legislação do Imposto de Renda define como despesas operacionais, para fins de apuração do lucro real, os dispêndios, não computados nos custos, pagos ou incorridos para a realização das transações ou operações exigidas pela atividade da empresa. Com base no Parecer Normativo CST nº 7/1976 concluiu que, no caso de comissões sobre vendas, se o seu pagamento ficar condicionado ao recebimento do valor da venda não...
Tributos para e-commerce – Quais preciso pagar?

Tributos para e-commerce – Quais preciso pagar?

Você sabe o quão importante é o pagamento de tributos para e-commerce? As compras online já viraram rotina na vida do brasileiro, a praticidade e agilidade conquistou o coração de todos, assim, ganhando mais força a partir da pandemia de Covid-19. Acima de tudo, esse novo formato de compra representou uma grande ampliação nas vendas dos mais diferentes tipos de produtos e serviços, bem como, um desafio para os gestores em lidar com a necessidade de dedicar cada vez mais tempo para o pagamento de tributos de e-commerce. Quais os principais tributos para e-commerce? IRPJ e CSLL Para fins de apuração do lucro real (estimativa mensal) e do lucro presumido: A base de cálculo aplica-se sobre as receitas decorrentes do e-commerce os percentuais de: 8%, no caso do IRPJ; e 12%, no caso da CSLL. E em relação às alíquotas devem ser aplicados os percentuais de 15%, para o IRPJ (e o adicional de 10%, se for o caso), e de 9%, para a CSLL. PIS e COFINS Além disso, para fins de apuração do PIS e da COFINS, independentemente de ser comércio eletrônico ou intermediação em sites de compras coletivas, haverá o desmembramento via regime tributário de cada empresa. Regime cumulativo – Lucro Presumido base de cálculo: compreende exclusivamente o faturamento alíquotas: 0,65% (PIS) e 3% (COFINS) Regime não cumulativo – Lucro Real base de cálculo: total das receitas auferidas alíquotas: 1,65% (PIS) e 7,6% (COFINS) Porém, a atividade de venda no e-commerce, ainda que em grande quantidade (por atacado), não impede a opção pelo Simples Nacional, desde que a empresa não incorra em situação de impedimento a...
PAGAR GNRE – COMO AUTOMATIZAR ESSE PROCESSO

PAGAR GNRE – COMO AUTOMATIZAR ESSE PROCESSO

Já parou para pensar quanto tempo você leva para pagar a guia GNRE? E se conseguirmos automatizar todo esse processo? Muitas lojas online deixam de vender para outros estados e regiões devido a dificuldade que enfrentam para realizar o pagamento de tributos. Em síntese, não é nada prático abrir conta em mais de um banco tradicional para efetuar os seus pagamentos de tributos, federais/estaduais/municipais, ou ter conta no Banco do Brasil, que além de ser extremamente burocrático, normalmente não é a conta principal da maioria das empresas brasileiras. Além deste fator existem outros obstáculos como: Mercadoria barrada por problemas no fluxo de pagamento de tributos. Erros de arquivo trafegado com os bancos Pagamentos manuais e as vezes presenciais em bancos. Mas, a boa notícia é que já existe uma solução inovadora capaz de transformar esse cenário, através da automatização desta atividade. Falaremos mais sobre esta ferramenta a seguir. A IMPORTÂNCIA DA AUTOMATIZAÇÃO NO PAGAMENTO DA GNRE A automação do pagamento de tributos eliminará a necessidade de obter diversas contas em bancos tradicionais diferentes, além disso, otimiza o tempo e reduz a necessidade de ter mais pessoas para realizar essa operação. Visibilidade e organização dos custos com tributos Reduz custos com multas e juros Você consegue vender para o Brasil inteiro e ficar de acordo com o fisco Garante o compliance e elimina erros  Simplifica uma área extremamente complicada Outro ponto importante é que as regiões de atuação da sua empresa aumentam com a automação, visto que a rapidez do processo te auxilia na agilidade para o envio de mercadorias, sem correr riscos de deixar de pagar algum tributo e...
[Marketplace]Tributação do Simples Nacional

[Marketplace]Tributação do Simples Nacional

O marketplace é caracterizado como um comércio virtual, pelo qual se estabelece um tipo de transação comercial feita especialmente através de um equipamento eletrônico, ou seja, através de um computador. É conceituado como o uso de uma comunicação eletrônica e digital, aplicada aos negócios, que cria, altera ou estabelece valores entre organizações, entre estas e indivíduos, ou mesmo entre indivíduos, permitindo-lhes a aquisição de bens e serviços, e se encerra com a liquidação financeira realizada por meios eletrônicos de pagamento. Assim, o ato de vender ou comprar pela Internet é em si um bom exemplo de comércio eletrônico. O mercado mundial está absorvendo essa modalidade de comércio em grande escala e muitos ramos da economia agora estão ligados a ele. Sem dúvida, através dessas conexões eletrônicas com clientes, fornecedores e distribuidores, o comércio eletrônico tornou-se um importante e eficiente instrumento para os contatos negociais, a expansão da participação no mercado e a manutenção da viabilidade do negócio. No início, a comercialização online era restrita a alguns produtos, como livros, CD, entre outros de características tangíveis. Atualmente, com o avanço da tecnologia, surge uma nova tendência para a comercialização online – a venda de produtos e serviços pela web. O comércio eletrônico vem adquirindo contornos dos mais variados, tais como os sites de compras coletivas. A compra coletiva é uma modalidade de comércio eletrônico que tem como objetivo vender produtos e serviços para um número mínimo preestabelecido de consumidores por oferta.   Simples Nacional, e o Marketplace A atividade de venda no marketplace, ainda que em grande quantidade (por atacado), não impede a opção pelo Simples Nacional, desde que a...
[TRIBUTOS] 10 PASSOS PARA ORGANIZAR OS TRIBUTOS

[TRIBUTOS] 10 PASSOS PARA ORGANIZAR OS TRIBUTOS

  A carga tributária do nosso país é uma das mais pesadas e complexas de todo o mundo. Para se manter sempre em dia com o Fisco e evitar multas que comprometam as finanças da empresa, é preciso ter muita organização. Se o seu desejo é conseguir diminuir custos, gerenciar riscos tributários, organizar os tributos para e-commerce, vamos te ajudar nesse artigo. Confira os próximos 10 passos essenciais de como organizar com os impostos e saiba o que fazer para otimizar os aspectos tributários dentro da sua rotina.   10 PASSOS PARA ORGANIZAR OS TRIBUTOS    1. Regime tributário da sua empresa Existem três principais regimes tributários, veja quais são eles:   Simples Nacional   Os empresários costumam procurar o Simples Nacional em primeiro lugar, pois ele oferece, uma administração tributária mais simplificada, com a facilidade de a arrecadação ser feita por meio do pagamento de uma única guia por mês arrecadado.   Lucro Presumido   Para as empresas com o lucro superior a 32% do faturamento bruto, podem ter grandes vantagens nessa modalidade. A apuração deste regime impacta no: Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e a base de cálculo para recolhimento de impostos varia de acordo com a atividade de cada empresa. Além desses impostos podemos listar: Contribuição social e os impostos PIS e COFINS e ISS sobre a receita e ICMS e IPI.   Lucro Real   Nesse regime tributário o Lucro Real, a empresa paga o IR e a contribuição social sobre a diferença positiva entre receita da venda e os gastos operacionais em determinado período. O Lucro Real é um sistema de tributação que...