Blog

O Novo Profissional Fiscal e Tributário

6 ago

 

Há algum tempo, quando buscávamos por um profissional da área fiscal e tributário, ou mesmo pensávamos em como construir um currículo, normalmente estávamos falando em cumprir pré-requisitos acadêmicos.

Algumas profissões inclusive, já não exigem faculdade e talvez esta seja uma tendência que também alcançará o departamento fiscal. Fato é que o desempenho do profissional não está atrelado ao curso que estudou.

A primeira mudança é a remodelação organizacional (mudanças de processos e cultura), iniciando pelo profissional e a organização empresarial. Antes o departamento fiscal e tributário era visto da seguinte forma: emissor de notas fiscais, registros e elaboração de guias. Porém o cenário hoje é totalmente diferente. Hoje o profissional da área tem como responsabilidade:

  • Garantir o cumprimento das regras de Compliance (Normas internas e perante o Fisco);
  • Acompanhamento constante da legislação tributária;
  • Reflexos e impactos nas alterações da empresa;
  • Analise e certificação das operações da empresa;
  • Cruzamento de informações – certificação das informações fiscais;
  • Mitigação de riscos e prevenção a autuações fiscais;
  • Implantação de procedimentos (controles) fiscais (normas internas);
  • Análise impacto do custo tributário na atividade da empresa;
  • Consultoria (provedor de informações);
  • Suporte para decisões estratégicas (estrutura de operações e aquisições);
  • Prestar informações corretas em auditorias e às autoridades fazendárias;
  • Planejamento Tributário (alternativas para minimizar o custo tributário, otimização de recursos);
  • E desenvolver um bom relacionamento interpessoal com os demais departamentos da organização.

Tendo em vista tais mudanças, o modelo moderno da área tributária compõe:

  • Planejamento tributário;
  • Faturamento;
  • Recebimento;
  • Departamento fiscal;
  • Gestão Tributária.

Vejo que algumas características são bem importantes para a formação desse novo profissional. Cito abaixo algumas delas, sem a intenção de ser taxativa:

Tecnologia: A capacidade de acessar dados do sistema, criar relatórios e formatar dados de uma maneira inteligível e analisá-los é um diferencial. As administrações tributárias da União dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios já iniciaram as primeiras conversas a respeito da modernização e do uso da tecnologia para o compartilhamento de cadastros.

Através do intercâmbio e cruzamentos de informações fiscais entre as esferas governamentais, a padronização em formato digital e melhor qualidade das informações seria possível fiscalizar os contribuintes sem que o agente fiscal tivesse que se deslocar até as empresas. O Sistema Público de Escrituração Digital – SPED, revolucionou os departamentos tributários e contábeis das organizações reduzindo a papelada e trazendo maior segurança e agilidade nas atividades do dia a dia. O primeiro projeto rumo à modernização foi a nota fiscal eletrônica, que foi implantada em 2008. A partir daí, obrigações fiscais eletrônicas começaram a ser criadas e os contribuintes tiveram que se adaptar às mudanças.

A transformação digital na área de impostos é uma realidade. Nos resta agora olhar para esta transformação digital de uma forma positiva e angariar os frutos que uma gestão tributária eficiente pode trazer.

Resiliência: esta é uma característica importante para qualquer profissional. Sem a resiliência a espécie humana não teria sobrevivido até hoje. É fundamental que o profissional da área fiscal, tenha capacidade de lidar com problemas, adaptar-se a mudanças e superar desafios.

Parceiro de Negócio: o departamento fiscal é normalmente taxado como “retaguarda da empresa”, mas há muito tenho notado que estamos mais na “frente do negócio” do que se imagina. A política de tributos é determinante para a lucratividade das empresas.

Neste sentido o profissional fiscal e tributário deve ser um parceiro do negócio. O perfil que apenas cumpre obrigações acessórias, se mantem apenas na retaguarda sem ter a capacidade de se relacionar bem, e esse perfil não mais atende às necessidades desse novo mundo que vivemos.

 

Reforma Tributária, haverá espaço ao profissional da área fiscal?

 

O que esperamos como profissionais do universo fiscal e  tributário, é que a demanda aumente. Estar preparado e criar habilidades multisciplinares, este perfil terá seu lugar garantido. Qualquer reforma que passar, seja ela em qualquer cenário que tiver, vai existir um período de transição, esse período significa dizer que teremos, possivelmente, duas ou três declarações concomitantes enquanto estivermos no período de transição.

Devido a quantidade de mudanças em nossas normas e a quantidade de obrigações acessórias, o novo profissional deve estar apto a desenvolver suas funções de forma criteriosa. Listo algumas dicas para conseguir resultados com êxitos:

  • Esteja no ambiente certo (network é uma grande ferramenta);
  • Invista em cursos práticos;
  • Faça treinamentos aos departamentos correlacionados;
  • Mantenha-se atualizado: existem ótimas ferramentas para obter um melhor desempenho nas atividades abrindo espaço na agenda para dedicar ao desenvolvimento profissional.

Companhias de diversos setores que planejam crescimento continuam demandando profissionais qualificados do setor, causando impacto sobre as políticas salariais.

A tendência continua a ser de aumento na remuneração desses profissionais, especialmente no salário fixo. Os bônus se mantêm como política de atração de talentos, principalmente por parte das empresas em fase de startup no país. Em contrapartida, as companhias estão mais exigentes em relação ao perfil comportamental dos candidatos e tendem a carregar processos de seleção mais rigorosos. A escassez de candidatos fluentes em inglês se mantém como um dos principais desafios.

Um problema verificado pelas companhias é a retenção de seus profissionais, fazendo com que muitas delas se preocupem com o passado dos candidatos e seu comprometimento com a estabilidade em seus empregos anteriores.

 

Habilidades Comportamentais Necessárias para um Profissinal Fiscal e Tributário

 

  • Perfil parceiro do negócio;
  • Estabilidade nos empregos anteriores;
  • Foco no resultado;
  • Habilidade com pessoas;
  • Conhecimentos mais específicos;
  • Sistemas integrados de gestão (ERP);
  • Inglês.

O que você está fazendo hoje para se readaptar a essa nova realidade?

 

Sobre a Autora:
Graziella Santos @
graziella.sr
Autora certificada, é especialista na área fiscal/tributária, pós graduada em Gestão tributária e Direito Tributário. Empresária e sócia da SerfisCont Consultoria Empresarial, com 12 anos de experiência em rotinas fiscais e gestão tributária. Reconhecida por ser fundadora do movimento “Fiscal na Real”, criado para compartilhar e conectar com pessoas da área fiscal e áreas correlacionadas. Desafia aos membros e alunos do projeto todos os dias, para que cada um possa ser o profissional que faz a diferença.

Últimos posts