Blog

[TRIBUTOS] 10 PASSOS PARA ORGANIZAR OS TRIBUTOS

16 jun

 

A carga tributária do nosso país é uma das mais pesadas e complexas de todo o mundo. Para se manter sempre em dia com o Fisco e evitar multas que comprometam as finanças da empresa, é preciso ter muita organização. Se o seu desejo é conseguir diminuir custos, gerenciar riscos tributários, organizar os tributos para e-commerce, vamos te ajudar nesse artigo. Confira os próximos 10 passos essenciais de como organizar com os impostos e saiba o que fazer para otimizar os aspectos tributários dentro da sua rotina.

 

10 PASSOS PARA ORGANIZAR OS TRIBUTOS 

 

1. Regime tributário da sua empresa

Existem três principais regimes tributários, veja quais são eles:

 

Simples Nacional

 

Os empresários costumam procurar o Simples Nacional em primeiro lugar, pois ele oferece, uma administração tributária mais simplificada, com a facilidade de a arrecadação ser feita por meio do pagamento de uma única guia por mês arrecadado.

 

Lucro Presumido

 

Para as empresas com o lucro superior a 32% do faturamento bruto, podem ter grandes vantagens nessa modalidade. A apuração deste regime impacta no: Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e a base de cálculo para recolhimento de impostos varia de acordo com a atividade de cada empresa. Além desses impostos podemos listar: Contribuição social e os impostos PIS e COFINS e ISS sobre a receita e ICMS e IPI.

 

Lucro Real

 

Nesse regime tributário o Lucro Real, a empresa paga o IR e a contribuição social sobre a diferença positiva entre receita da venda e os gastos operacionais em determinado período.

O Lucro Real é um sistema de tributação que inclui o Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL). Ele é conhecido como o regime mais complexo entre os regimes tributários, com as normas e responsabilidades mais rígidas do mercado financeiro.

 

A escolha do melhor regime pode impactar os resultados da sua empresa significativamente.

 

2. Calendários fiscais com prazos e penalidades

 

Abrir e manter uma empresa é um processo bem complexo, uma vez que é preciso cumprir uma série de obrigações fiscais, tributárias, previdenciárias e trabalhistas, instituídas pelo governo para garantir a regularidade da atuação do negócio.

Ao cumpri-las, a empresa se mantém dentro da legislação e não coloca em risco as suas atividades no caso de uma fiscalização. A não entrega ou a entrega incorreta das obrigações acessórias pode gerar pesadas penalidades, por isso o uso de calendários fiscais é de extrema relevância para a empresa, seguindo sempre as datas corretas para cada obrigação sendo a principal e a acessória.

3. Automatização de processo

 

A automatização de processos consiste em transformar etapas que eram realizadas de maneira estritamente manual em procedimentos que contam com a ajuda de tecnologia. A automatização não serve para substituir a atividade humana, mas para otimizar recursos e facilitar o trabalho dos profissionais de uma maneira geral.

 

4. Compliance Fiscal

 

O Compliance tributário e os processos de contas a pagar possuem uma relação muito íntima. Com tantos tributos que devem ser recolhidos pelas empresas brasileiras, é impossível não falarmos sobre o recolhimento eficiente com os valores corretos e dentro dos prazos definidos pela legislação.

Basta um pequeno descuido para que um prazo seja perdido. E as consequências disso podem rapidamente se tornar graves: juros, multas e outras penalidades aplicadas pelo Fisco. Isso sem falarmos do estresse gerado dentro dos setores fiscais e financeiro da organização.

 

5. Conformidade Tributária

 

Estar em dia com as exigências fiscais e tributárias de cada país é um desafio para as empresas multinacionais, uma vez que não há um padrão global regulador da obrigação principal (pagamento do tributo), bem como das obrigações acessórias (declarações ao Fisco), o que requer das companhias uma constante adaptação às diferentes legislações de cada novo mercado em que ingressam.

A Malha PJ foi construída a partir de ferramentas próprias da Receita Federal e pelos próprios auditores fiscais, responsáveis tanto pelo desenvolvimento das soluções tecnológicas, quanto pela seleção e execução de procedimentos fiscais em larga escala.

 

6. Financeiro 

 

Não é possível falar dos impactos dos impostos sem abordarmos os desafios e oportunidades do planejamento financeiro, de modo que, são necessários vários estudos para que a empresa alcance o patamar de superação dos reflexos negativos de uma alta carga tributária.

Dessa forma, a tomada de decisão que principalmente as que envolvem os fluxos monetários e de capital de giro deve levar em consideração a análise dos cenários, os impostos envolvidos e as consequências (positivas e negativas) previstas no planejamento, que podem afetar a gestão financeira do empreendimento.

Vale ressaltar que o processo de tomada de decisão engloba a correta precificação dos produtos e serviços comercializados pela empresa, de modo que, inclua na sua base de cálculo os impostos diretos e indiretos, mas, que não perca o valor agregado e percebido pelo cliente de forma positiva.

 

7. Planejamento dos tributos para e-commerce

 

É fundamental levantar essas informações antes de dar o primeiro passo para o planejamento tributário do negócio. Além de coletar dados importantes sobre o negócio, essas informações serão úteis na prática do planejamento. Antes de começar o planejamento fiscal da sua empresa é importante buscar essas informações para agilizar o processo. Busque as informações.

 

8. Organização no fluxo de caixa

 

O fluxo de caixa pode ser um conceito complexo que dificulta muitas empresas, porém é fundamental para quem deseja aprender como administrar uma empresa, para obter sucesso e ganhos financeiros efetivos. O fluxo de caixa representa todas as transações financeiras de sua empresa.

 

9. Otimização dos documentos fiscais

 

Outra prática importante para manter um controle fiscal e tributário de excelência no negócio é adotar o uso de arquivos digitais que ajudem a controlar as informações. Com a automatização crescente das operações administrativas corporativas e governamentais, como a emissão da nota fiscal eletrônica, utilizar documentos físicos pode ser um verdadeiro retrocesso para uma empresa.

A otimização fiscal e financeira de uma empresa depende também do uso de recursos tecnológicos que sejam capazes de facilitar as operações cotidianas. Com a utilização de softwares de controle de informações, é possível agrupar em um só lugar os dados de fluxo de caixa (pagamentos e recebimentos, por exemplo) relativos à tributação, tributos para e-commerce e à fiscalidade do negócio.

 

 

10. Ferramentas que auxiliam no pagamento dos tributos

A contratação de ferramentas que auxiliam na organização e automatizam alguns processos, é ideal para manter sua empresa fluindo, minimizar possíveis erros, além de poupar tempo e dinheiro.

O Banco Útil é um grande aliado quando falamos em valorizar o seu tempo, pois é uma solução tecnológica, ágil e segura na hora de pagar seus tributos. Em no máximo 15 minutos todos os tributos da sua empresa são pagos,  de forma automática com comprovante válido em mãos.

 

Benefícios:

  • Sistema totalmente automático – mantendo seus colaboradores em funções mais estratégicas, eliminando tarefas repetitivas e operacionais;
  • Agilidade nas operações e otimização do tempo – os pagamentos são feitos em até 15 minutos;
  • Abrangência Nacional – não precisa mais abrir conta em diversos bancos para o pagamento de suas GNREs 
  • Aumento da lucratividade – expandindo suas vendas para todo Brasil, sem limitação de UF, pois o Banco Útil paga os tributos de todos os estados do país.
  • Sem custos inesperados – solução SaaS, ou seja, não existe taxas ou tarifas, apenas o custo fixo mensal, que é acessível, tornando a solução viável para pequenos, médios e grandes negócios.
  • Pagamento 24/7 – os pagamentos podem ser feitos a qualquer dia da semana em qualquer horário.

Quer conhecer o Banco Útil? Clique aqui e agende uma conversa.

Graziela
Sobre a Autora:
Graziella Santos @
graziella.sr
Autora certificada, é especialista na área fiscal/tributária, pós graduada em Gestão tributária e Direito Tributário. Empresária e sócia da SerfisCont Consultoria Empresarial, com 12 anos de experiência em rotinas fiscais e gestão tributária. Reconhecida por ser fundadora do movimento “Fiscal na Real”, criado para compartilhar e conectar com pessoas da área fiscal e áreas correlacionadas. Desafia aos membros e alunos do projeto todos os dias, para que cada um possa ser o profissional que faz a diferença.

 

 

Últimos posts